PambazukaAtravés das vozes dos povos da África e do Sul global, Pambazuka Press e Pambazuka News disseminam análises e debates sobre a luta por liberdade e justiça.

Assine

Assinar gratuitamente!



Doações

Monitor da União Africana

Este site foi criado por Fahamu para fornecer um feedback freqüente às organizações da sociedade civil africana sobre o que está acontecendo na União Africana.

Taxas para vagas de publicidade no Pambazuka News

As taxas mostradas abaixo são para um anúncio de quatro semanas no ar

Banda A - Entidades de caridade, ONGS e Organizações sem-fins lucrativos com um movimento de caixa menor de $200,000: $50.00
Banda B - Entidades de caridade, ONGS e Organizações sem-fins lucrativos com um caixa entre $200,000 - $1,000,000: $150.00
Banda C - Entidades de caridade, ONGS e Organizações sem-fins lucrativos com um caixa maior que $1,000,000: $350.00
Banda D - Empresas do governo ou do setor privado: $500.00

Para postar um anúncio, mande um e-mail para: info [at] fahamu [dot] org.

Estamos dispostos dispensar das taxas as organizações sem-fins lucrativos da África com um orçamento limitado.

Pambazuka Press

Food Rebellions! Food Rebellions! Crisis and the hunger for justice Eric Holt-Giménez & Raj Patel.

Food Rebellions! takes a deep look at the world food crisis and its impact on the global South and under-served communities in the industrial North. While most governments and multilateral organisations offer short-term solutions based on proximate causes, authors Eric Holt-Giménez and Raj Patel unpack the planet's environmentally and economically vulnerable food systems to reveal the root causes of the crisis.

Visit Pambazuka Press

Faça Doação Para Ajudar Ao Pambazuka Continuar!

Ajude-nos a garantir que os assinntes do Pambazuka News o receba gratuitamente: cada $5.00 ajuda a garantir a assinatura por um ano. Por isso, doe generosamente para que o melhor newsletter africano para justiça social chegue onde ele é necessário.

del.icio.us

Visite Pambazuka News@del.icio.us. Nossa página no site Del.icio.us social bookmarking.

Creative Commons License
© A menos que indicado, todo material está licenciado sob o título Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas 3.0 Unported.

Artigos Principais

RSS Feed

George Cloney e o retorno de artefatos roubados da África

Chika Ezeanya

2014-04-17, Edição 71


cc MUS
O ator George Clooney , no passado, fez campanha em Darfur. No entanto, em seu recente filme ele agora está fazendo campanha para o retorno dos Mármores de Elgin à Grécia e não consegue fazer o mesmo argumento para os artefatos roubados da África espalhados pelo Hemisfério Ocidental.

O confronto de ideias em Guiné Bissau depois das eleições gerais: que perspectivas?

Ricardino Jacinto Dumas Teixeira

2014-04-17, Edição 71


cc DW
Tendo em conta as perspectivas pós-eleitorais que o Governo eleito fará jus, achei pertinente abrir um debate, sem pretensão de ser guardião da verdade. As questões foram elaboradas e respondidas pelo autor do texto, em forma de entrevista. Espero que seja útil e contribua para o enfrentamento de alguns dilemas sociopolíticos atuais.

A democracia no Brasil só é boa para a classe média branca - Entrevista com o escritor Paulo Lins

Paulo Lins & Fórum

2014-04-17, Edição 71


cc IE
“A democracia não foi boa para o negro, vivemos em um Estado policial, é guerra o tempo todo. Você falar que continuamos em uma ditadura é politicamente incorreto, mas é verdade, a democracia no Brasil só é boa para a classe média branca”, afirma o escritor, que acaba de lançar Era uma vez…Eu.

Israel está tornando a vida insuportável para os africanos , esperando que eles se auto deportem.

David Sheen

2014-04-17, Edição 71


cc ER
O primeiro-ministro Netanyahu chamou requerentes de asilo infiltrados africanos e vários outros políticos de direita ter incitado abertamente a violência contra eles. Além de leis duras , o plano do Ministério do Interior é fazer com que as vidas dos africanos tão miserável que eles são forçados a sair por conta própria.

Os fantasmas do colonialismo

Antônio Pinto Ribeiro

2014-04-17, Edição 71


cc PF
Assistimos a uma curiosa evolução dos vários regimes políticos dos Estados africanos. Países como Eritreia, o Tchad, a Guiné Equatorial mantêm regimes autocráticos. A África do Sul mostra-se incapaz de encontrar soluções para a diminuição da igualdade. Sucedem-se guerras civis na Somália. Em mais de três dezenas de países africanos foram adoptadas leis homofóbicas e quatro desses países punem a homossexualidade com pena morte. E, mais recentemente, todos os países da CPLP, o que inclui tanto os ex-colonizados como o ex-colonizador, já declararam aceitar como novo membro um dos estados mais tenebrosos de África: a Guiné-Equatorial cujo presidente é o ditador Obiang.

Museveni e a reconstrução do legado colonial homofóbico na África. De que modo progressiva?

Horace Campbell

2014-03-31, Edição 70


cc BBC
Progressistas africanos devem se levantar e falar contra a onda de leis anti-gays agora soprando em todo o continente - ajudado por fundamentalistas cristãos americanos que perseguem uma agenda de supremacia branca. Os direitos das pessoas de amar o mesmo sexo são direitos humanos que estão intimamente relacionados com os direitos de cada pessoa na sociedade.

20 anos depois da desvalorização : que futuro para o franco CFA ?

Demba Moussa Dembele

2014-03-31, Edição 70


cc AJ
O franco CFA é um dos símbolos da falta de soberania para os países africanos . Assim, uma ruptura com este sistema é necessário, com a criação de uma moeda soberana , que é uma das principais condições para a implementação de políticas industriais para criar valor e empregos adicionados à nacional e sub -regional .

Como e porque Chokwe Lumumba morreu?

Glenn Ford

2014-03-31, Edição 70


cc BET
Chokwe Lumumba concorreu para prefeito de Jackson, Mississippi, a fim de pôr em marcha um processo de "transformação social a partir do zero." Ele morreu oito meses em seu termo, mas o Estado se recusou a fazer uma autópsia. Muita gente suspeita que ele foi assassinado por desafiar a ordem dominante.

A trajectóra criminosa dos serviços secretos angolanos

Fernando Vumby

2014-03-31, Edição 70


cc DW
Quem viu nascer e tem acompanhado minimamente o crescimento e a trajectória dos serviços secretos angolanos com os olhos e os ouvidos direccionados nas suas actividades operativas facilmente percebe que este instrumento existe para esmagar os opositores de JES e seu regime.

Moçambique, um país interessante

Elisio Macamo

2014-03-31, Edição 70


cc PB
Moçambique está a ficar cada vez mais interessante. O jornal Notícias, por exemplo, mudou de visual. Os de vista fraca vão agradecer o novo estilo gráfico. Os que precisam de estímulos externos para porem a sua máquina intelectual a funcionar vão ficar gratos pelas cores. Mas não é só isso que torna o país cada vez mais interessante. A Frelimo, ao que parece, já não lava roupa suja às escondidas.

É teorização atual sobre a sexualidade do mesmo sexo relevante para o contexto africano ? A necessidade de mais vozes africanas em teorizar desejo pelo mesmo sexo na África.

Thabo Msibi

2014-03-16, Edição 69


cc NY
Este artigo argumenta que a teoria sociológica relacionada com questões de sexualidade do mesmo sexo , ao tomar a sua localização no Ocidente como um dado adquirido , não sendo suficientemente inclusivo. Especificamente, ele não toma as realidades contextuais, história e condições de África em conta, e de explorar como os africanos compreenderam o desejo pelo mesmo sexo. O contexto Africano é aquele em que as campanhas de lideranças políticas contra o desejo pelo mesmo sexo tem encontrado o centro do palco e onde as campanhas virulentas da mídia contra o desejo pelo mesmo sexo são normalizados . Argumenta-se que isso resulta da colonização psicológica. O argumento é que as teorias ocidentais sobre o desejo pelo mesmo sexo são inadequadas para enfrentar as preocupações daqueles marginalizados em contextos africanos. O papel passa para pedir maiores vozes da África em teorizar a sexualidade - um terreno longo ignorado na bolsa africana.

Através de seus olhos : A vida como refugiados LGBTI e requerentes de asilo na África do Sul

Elizabeth Gyori

2014-03-16, Edição 69

Eles saíram em busca de refúgio , de paz da discriminação implacável em seus países de origem . Deixando para trás a família, amigos e amantes, muitos refugiados LGBTI e requerentes de asilo estão tentando fazer uma casa na África do Sul , um país com algumas das leis anti-discriminação mais progressistas no continente africano. Muitas vezes, porém , os refugiados LGBTI e requerentes de asilo se encontram diante de novas ameaças decorrentes da homofobia generalizada e a xenofobia.

Os problemas com Debate sobre Práticas do mesmo sexo no Malawi

Alan Msosa

2014-03-16, Edição 69

A questão da homossexualidade é uma das questões mais emotivas globalmente desde as atrocidades sistemáticas , como a escravidão, o colonialismo eo apartheid. O grau de tensão sobre as questões da homossexualidade nas esferas social , política e cultural desafia a imaginação . Sempre que esta questão surge em um país africano , todas as outras prioridades concorrentes estão paralisadas . Malawi não é excepção.

A situação LGBTI na África

Busangokwakhe Dlamini

2014-03-16, Edição 69


cc NDN
A equipe editorial do Pambazuka News está de acordo que a situação LGBTI na África é uma questão importante e urgente , observando o grande número de pessoas que continuam a sofrer discriminação gratuita, intimidação , repressão e violência. Os efeitos da prevalência de tal discriminação, intimidação , repressão e violência não se restringe apenas ao LGBTI , como evidenciado no que se tornou conhecido como a " Declaração de Viena ".

Endireite-se ou você está morta. O caso de lésbicas negras na África do Sul

Fairuz Mullagee e Ernest Booys

2014-03-16, Edição 69


cc OO
"Era de partir o coração que a comunidade LGBT estavam sendo tratados como cidadãos de segunda classe em seu próprio país , ao passo que eles tinham o direito de viver no entanto que quisessem que seus direitos foram consagrados na Constituição . "

Pare a violação por ódio.

Pepe Hendricks

2014-03-16, Edição 69

Os crimes de ódio , a homofobia ea discriminação contra as pessoas estranhas são fenômenos globais que são prática comum. Esta situação é especialmente vivida na África e no Oriente Médio, onde a legislação e políticas duras e punitivas está autorizado e aprovado . A falta de democracia , ou a sua proteção, também perpetua abusos dos direitos humanos extremas , que muitas vezes assume a forma de agressão física.

Em solidariedade ? Uma Carta Aberta a Ativistas Pan-Africanos , aos ativistas negros de esquerda e dos Direitos Humanos nos Estados Unidos

Joan P. Gibbs

2014-03-16, Edição 69

Eu escrevo, como um ativista de longa data nos movimentos negros e LGBT , bem como o anti- guerra, e movimentos de solidariedade nos Estados Unidos , para informá-lo , se você ainda não está ciente das campanhas emergentes dentro os EUA baseados movimento LGBT em oposição à perseguição de pessoas LGBT na África, para exortá-lo a prestar atenção nessas campanhas e , quando e sempre que possível dar o seu apoio a eles. Na escrita, eu não esqueci do fato de que temos mais de bastante trabalho para fazer aqui em outros problemas enfrentados por nosso povo , como a migração forçada dos negros de Harlem, Bedford- Stuyvesant e outras comunidades historicamente negras , as taxas desproporcionalmente altas do desemprego , o subemprego , a pobreza , falta de moradia e encarceramento entre nosso povo .

Homossexualidade: ponte pragmática para lidar com a saúde pública, direitos humanos e moralidade

David Kuria

2014-03-16, Edição 69


cc RNW
Sobre a questão da homossexualidade, questões relativas à moralidade , direitos humanos e saúde pública são frequentemente apresentados como se fossem mutuamente exclusivos. Se alguém toma uma posição em favor do interesse da saúde pública e os direitos humanos das pessoas homossexuais , essa pessoa é levada para ser contra as sensibilidades morais religiosas do Quênia e vice-versa . Este artigo explora se é possível para um para segurar juntos, pelo menos no espaço público , os ideais religiosos que são caros para muitos quenianos , ao fornecer para os direitos humanos e as aspirações de saúde das pessoas homossexuais .

Ele morreu de vergonha

Valentina Acava Mmaka

2014-03-16, Edição 69

Dedicado a ele Ele era jovem Ele era um filho Ele era um amigo , Ele era um gay , Ele era humano

Construir liderança lésbica feminista na Namíbia

Liz Frank e Elizabeth Khaxas

2014-03-16, Edição 69

Centro de Liderança da Mulher , uma ONG feminista baseada na Namíbia liderada por ativistas feministas lésbicas experientes , tem vindo a trabalhar com jovens mulheres lésbicas de todo o nosso país ao longo de muitos anos para passar a chama de ativismo feminista lésbica e liderança para a próxima geração.

Um olhar sobre as leis anti-gays da África - Países Africanos em Negociação "com Gays da melhor maneira que eles sabem - criminalização adicional.

Denis Nzioka

2014-03-16, Edição 69


cc ACK
A tendência está se formando a partir de nações africanas - que já criminalizar mesmos atos sexuais , ainda que , por meio de leis herdadas dos colonizadores - a mais adoptou legislação que amplificam , ainda criminalizam e aumentar a punição para mesmos atos sexuais

Uma carta ao embaixador nigeriano no Zimbábue

Chesterfield Samba

2014-03-16, Edição 69

7 de janeiro de 2014 O embaixador nigeriano para Zimbabwe Chancery Edifício 36 Samora Machel Ave Harare Honorável Embaixador, Ref: Lei nigeriana que proibe sexo entre iguais. GALZ uma associação proteger , representar e promover os direitos e interesses das mulheres lésbicas , gays, bissexuais , homens e mulheres transexuais e intersexuais ( LGBTI ) pessoas no Zimbábue , estão extremamente preocupados com a recente assinatura para a ordem jurídica do mesmo sexo, que conta a proibição temos razão para acreditar que ele é meio caminho andado para atenuar a situação extremamente difícil em que LGBTI nigerianos encontram-se dentro;

Eleições Moçambicanas em 2013: o final dos movimentos de liberação? Frederic Guilenge

Frederic Guilenge

2014-02-27, Edição 68


cc GG
Uma terceira força surgiu na política moçambicana, o partido MDM que está causando ondulações potentes, especialmente em áreas urbanas e nas regiões até agora marginalizados pelo partido no poder, FRELIMO. RENAMO , principal partido da oposição , está morrendo. MDM é susceptível de colocar uma forte presença na eleição October'spresidential por causa da crescente insatisfação para o partido no poder. Mas o MDM é improvável de trucidar a bem enraizada FRELIMO.

Nós temos uma obrigação anti-imperiaista com o povo do Haiti.

Ajamu Nangwaya

2014-02-27, Edição 68


cc GE
Cada pessoa negra livre no mundo tem uma dívida de gratidão para com a Revolução Haitiana . Agora o Haiti precisa de você. Ele sofre há dez anos desde que as forças imperialistas derrubaram líder democraticamente eleito do Haiti e impingiu sobre o povo um fantoche do Ocidente. As pessoas estão resistindo. Tome uma atitude agora.

Violência obstétrica em Moçambique

WSLA Moçambique

2014-02-28, Edição 68


cc WLSA
Histórias de berros, gritos, proibição de usar telemóvel e até palmadas são frequentes. “Uma enfermeira bateu numa parturiente em frente de todas nós. Esquece-se de que no momento do parto a mulher fica um pouco fora de si. E nada justifica bater”, disse Joaneta Cossa, que deu à luz pela primeira vez no Centro de Saúde 1 de Junho, em Maputo, no bairro Ferroviário.

Linchamento dos dias modernos

Margareth Kimberley

2014-02-28, Edição 68


cc FC
Muitas vezes parece que o passatempo nacional americano é o assassinato de pessoas negras. O registro do movimento Malcolm X Grassroots de um homicídio racista cada 28 horas é certamente subestimado. Quanto mais os negros morrem, mais difícil empurrar alguns brancos para a latitude mais ampla para matá-los. Não há reciprocidade em "Stand Your Ground". "Auto-defesa não significa nada quando uma pessoa negra afirma que certo".

De qual Renascimento Africano estamos falando?

Motsoko Pheko

2014-02-16, Edição 67


cc RU
Será que a União Africana confunde o termo " Renascimento Africano ", com pan-africanismo ? Estes termos não podem significar a mesma coisa quando o " Renascimento europeu ' trouxe a escravidão , o colonialismo e o racismo para a África.

Percepções e contestações: leituras a partir das narrativas sobre o narcotráfico na música Rap da Guiné-Bissau

Miguel de Barros e Patricia Godinho

2014-02-16, Edição 67


cc YT
A história política recente da Guiné-Bissau foi atravessada por profundas transformações desde proclamação da independência por via unilateral em 1973, após onze anos da luta armada. O processo de liberalização da economia através da aplicação de Programas de Ajustamento Estrutural a partir da segunda metade dos anos oitenta levaria, quase de forma automática, a uma “imposição” de reformas políticas no inícios dos anos noventa, marcada pela realização das primeiras eleições multipartidárias em 1994.

Amilcar Cabral e a Tricontinentale

Frédéric Thomas

2014-02-16, Edição 67


cc AH
Há 41 anos , 20 de Janeiro de 1973, Amílcar Cabral, fundador do Partido Africano para a Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC ) , foi assassinado ... poucos meses antes da independência dos dois países para o qual ele tinha lutado . O socialista Solidariedade Ong ( Solsoc ) e suas organizações parceiras no Sul prestaram homenagem a esta grande figura anticolonial , considerada uma das principais vozes da emancipação do continente africano.

Cultura do machismo destrói o sonho das mulheres

WSLA Moçambique

2014-02-16, Edição 67


cc WWI
O casamento é uma oportunidade para o amor e a realização, mas para muitas mulheres significa abandonar os seus sonhos. São proibidas de trabalhar e as suas amizades e visitas à família são controladas.

Anterior | 1-30 | 31-60 | 61-87 | Próximo

ISSN 1753-6839 Pambazuka News English Edition http://www.pambazuka.org/en/

ISSN 1753-6847 Pambazuka News en Français http://www.pambazuka.org/fr/

ISSN 1757-6504 Pambazuka News em Português http://www.pambazuka.org/pt/

© 2009 Fahamu - http://www.fahamu.org/